Nenhum produto na sacola.

Procurar
Priorize isso na sua agenda

Priorize isso na sua agenda

Acho que a primeira pessoa que vi simular o ato de se masturbar foi a Madonna. E eu achei a performance muito sexy! Naquela época eu não sabia bem o que era aquela sensação gostosa de ver algo sexy e sentir desejo, eu não tinha consciência sobre o fenômeno denominado libido. Alguém se lembra deste vídeo mega polêmico e lindo?





Para quem já sabe se masturbar: meus parabéns!! Você faz parte da minoria. Independentemente da sua naturalidade em masturbar-se, senta aí e leia com atenção: a masturbação feminina pode ser muito mais diversificada, surpreendente e fascinante do que você pensa. E para quem ainda não sabe bem como se masturbar, sinta-se em casa.

 

Segundo a pesquisa Mosaico 2.0 conduzida pela psiquiatra Carmita Abdo, coordenadora do Programa de Estudos em Sexualidade do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, cerca de 40% das brasileiras não costumam se masturbar. Dessas, 19% jamais experimentaram a prática.

Um dado fisiológico para entendermos sobre o processo de cultivo de excitação:

Para que o homem fique excitado, seu organismo precisa bombear cerca de 10 ml de sangue para seu pênis.

Já o órgão sexual feminino, precisa de cerca de 200 ml de sangue. Daí a importância de se dedicar à elevação da sua excitação durante aproximadamente 20 minutos.

A ação de se masturbar para a mulher precisa de mais tempo, toque, audição, imaginação, preparação, clima, paciência, curiosidade. Além do mais, ainda somos ignorantes sobre os detalhes de funcionamento da libido (tesão) da mulher. Natural que você ainda não saiba muito bem como ter uma masturbação prazerosa.

 

Foi muito recentemente que a medicina revelou o tamanho real do clitóris (na escola, eu aprendi que o clitóris era do tamanho de uma ervilha, hoje sabe-se que ele mede 8 cm). A real "engrenagem" do clitóris foi desvendada pela urologista australiana Helen O'Connell, da Universidade de Melbourne, em Sydney, há vinte anos – isso significa que antes nós, mulheres, homens e até alguns médicos, aprendemos tu-do errado sobre o clitóris!

Decepcionada com o fato de que os principais livros de referência sobre anatomia traziam menções bem superficiais sobre o clitóris, ela decidiu estudar o assunto por conta própria e descobriu que o órgão tem mais nervos e vasos sanguíneos do que se supunha, além de partes não visíveis.

 

Hoje sabe-se pouco sobre o funcionamento da libido da mulher, um dado encontrado em uma pesquisa num Laboratório no Canadá revela que a libido feminina precisa de um contexto, e que ela mesmo, talvez por não ver seu órgão excitado, não sabe definir se uma cena de um filme por exemplo, traz alta, média ou baixa excitação. A resposta oral dela raramente condizia com a resposta que seu corpo mostrava. Isso significa que precisamos nos dar tempo para se excitar e ter curiosidade. Nos tocar, ler, ver, cheirar, estimular as sensações prazerosas que podem levar ao orgasmo, sem que o orgasmo seja mais um compromisso obrigatório ou uma nova meta chata na vida.

Para ajudar as mulheres do mundo todo, e por consequência aos homens também, Emma Watson trouxe ao conhecimento público que aprendeu bastante sobre masturbação com o website OMG YES (Oh My God Yes). Este site revela, de maneira didática, os resultados de um estudo que envolveu 20 mil mulheres entre 18 e 95 anos sobre como elas se masturbam, onde elas mostravam como estimulam a própria vagina em frente das câmeras.

 

Por sinal, segundo um estudo em laboratório feito na Canadá, adivinhem para onde as mulheres focam sua atenção ao assistirem um filme de sexo? Provavelmente você errou.

Elas focam o olhar no corpo das mulheres. Elas querem de maneira consciente ou inconsciente, descobrir o que faz uma mulher sentir prazer. Como é o estímulo que ela faz ou recebe d@ parceir@ para ser capaz de sentir aquela gostosa sensação.

 

Não precisamos começar uma maratona de exercícios pelo orgasmo diário, mas eu sugiro pensar muito sobre isso. Podemos começar os toques no banho, ao passar loção hidratante após o exercício, ao acordar e até vendo cenas que te motivam, no dia a dia. 

Você acha tempo para se maquiar, depilar, fazer a unha, molhar a planta, encher a forma de gelo, mas não acha tempo para se acariciar?


Sugiro priorizar o seu desejo, dar mais atenção ao que te excita, seja curiosa, permissiva e amorosa consigo. Outra pessoa pode te masturbar, com o dedo, com palavras, com toque, com um vibrador - tudo isso é muito gostoso! Mas se você lá no fundo ainda tem medo, nojo, preguiça e vergonha da própria vagina, você está cultivando uma relação de descaso consigo. O seu desejo não precisa de dedicação de ninguém, além da sua.

Significa que se tocar com uma pluma, um vibrador, uma venda, um óleo, um chuveirinho, ao som de uma música gostosa, é uma chance que você tem todos os dias.

 

Ou podemos continuar delegando a outra pessoa a responsabilidade e a permissão para que possamos (ou não) ter prazer e sentir orgasmos. E ficar numa posição de figurante.

 

Vejam uma solução conveniente, discreta e didática interessante para aprender mais de cinquenta formas de se masturbar:




Ela revela relatos de mulheres anônimas que contaram de maneira simples e facílimas de entender, como e o que usam para se tocar e chegar ao orgasmo. Desde toalha, almofada, vibrador, lubrificante, até famosos dedos e chuveirinho. A grande maioria apontou o estímulo ao clitóris, no big news!

OBS: Também achei fabulosamente útil essa matéria: 25 técnicas de masturbação que você poderá roubar

Fontes:

Website: Oh My God Yes 

website: Buzz Feed 




Cintia Klein: Fundadora de V-LOV

Autora

Bem-vindos! Muito prazer.

Venho aqui cheia de energia para melhorar a minha vida, e a sua vida.

Antes disso, tive que resolver uma questão de assédio no trabalho, que me causava enorme sofrimento, e enfim sair do papel de vítima e assumir as rédeas da minha carreira.

Para chegar aqui, precisei reunir muita coragem para me demitir e findar este capítulo.

Saí de cabeça erguida, num dia de avaliação de desempenho. O primeiro feed-back da avaliação era sobre minha participação em uma reunião, que gerou reclamação de um Diretor. Entendi claramente que eu não "podia discutir estratégias com Diretores."

Foi um choque! E a gota d'água. Justamente porque durante um ano eu estava sendo treinada para manifestar mais a minha voz.
O meu mentor, um excelente executivo desta mesma empresa, VP de Marketing da Inglaterra, havia me incentivado a falar mais nas reuniões estratégicas, inclusive, havia me inscrito num curso de Liderança, exatamente para praticar falar em público e em reuniões. Foi duro fazer aula de teatro em inglês, com outros colegas da empresa, e aprender a expor minha voz. E ao mesmo tempo, percebi que a minha voz era digna de respeito e tinha a sua valia.

Naquele dia caiu a ficha: ali, eu não poderia ter voz. A minha experiência, e as minhas entregas durante 3 anos, como responsável pelo marketing da empresa no Brasil não eram relevantes de maneira suficiente, eu teria que me calar ou concordar com as estratégias de alguns poucos executivos - incompetentes para suas atribuições profissionais e desrespeitosos como ser humano.

Assim nasceu a V-LOV, uma nova empresa atuante no mercado de saúde íntima e bem-estar feminino, para que mais mulheres possam obter a escuta nas relações de trabalho e afetivas.

Te convido a aprender mais sobre saúde, bem-estar e cuidado íntimo. Aqui o leitor tem voz, você pode dar a sua opinião. Eu trouxe informações de especialistas em campos complementares, incluindo correntes de pensamento e teorias que podem ser vistos como complementares e até mesmo divergentes em alguns aspectos. Utilize aquela que se aplica mais a você.

A diversidade de crenças é permitida e estimulada, você pode repensar, concordar, discordar, ter dúvidas e até nos questionar. O diálogo é vital para a melhoria de nosso relacionamento. O valor de trabalho na V-LOV é o respeito as opiniões diversas.

Nossa atividade principal é cuidar de você de maneira holística, nossa meta diária é se conectar, pesquisar, selecionar e analisar novos estudos, serviços e produtos para aumentar o seu V-LOV, provendo dicas práticas, materiais educativos e de entretenimento. Uma boa parte deles estará disponível na sua conveniência, com discrição e acesso gratuito. Aproveite!

Abraços,
Cintia Klein